top of page
  • Bruno Dames

Após polêmica, SBT se posiciona e defende Márcia Dantas

Foto: Divulgação/SBT

Na última terça-feira (7), o “Tá Na Hora” divulgou uma reportagem sobre a aplicação de multas a caminhões que levavam doações ao Rio Grande Sul em meio a tragédia no estado por falta de notas fiscais ou peso excedido. Márcia Dantas, enviada pela emissora, flagrou o momento enquanto ia para local das enchentes.


Porém, a notícia foi confundida com uma fake news que circulava na internet nos últimos dias, que afirmava que os produtos doados estavam sendo retidos (informação falsa com viés político).


O SBT, então, se posicionou nesta quarta (8). Confira o comunicado da emissora:


“O SBT reforça seu compromisso com a verdade e ressalta que todo o departamento de jornalismo da emissora é guiado pela premissa de responsabilidade com a informação e com a sociedade. A emissora não produz e não divulga inverdades e não tem o objetivo de politizar qualquer assunto conduzido pela equipe de jornalismo.

 

Especificamente sobre a tragédia que assola o Sul do País, o SBT tem adotado uma postura de serviço de utilidade pública, divulgando todas as ações de auxílio às vítimas e os canais oficiais de doação. Em determinado momento desse trabalho, nossa equipe de reportagem constatou embaraços oficiais ao trânsito de caminhões com doações para  o Rio Grande do Sul, e assim retratou os fatos, até mesmo como forma de alerta às autoridades. A informação foi confirmada hoje pela Agência Nacional de Transportes Terrestres e o resultado, inclusive, é a suspensão das multas aplicadas, o que só foi possível diante da exposição do fato.

 

O objetivo da cobertura do jornalismo doSBT sobre a tragédia no Sul do País segue sendo o de ser um canal de apoio à população local, reforçando tudo o que pode ser feito para auxiliar as pessoas. Não há nem nunca houve vínculo ou objetivo político. 

 

Comprometida com a verdade, a emissora seguirá trabalhando de forma incansável para trazer informação de qualidade e credibilidade para toda a população brasileira.”


Comentarios


bottom of page